Menu
Depositphotos_227289166_XL-1024x683

Sumário[1]

Infraestrutura de transporte e emprego

Investimentos em infraestrutura de transportes são fundamentais para promover desenvolvimento econômico. Todavia, computar os efeitos desses investimentos é difícil devido à existência de efeitos que vão além da vizinhança imediata dos projetos, criando efeitos sobre todo o sistema de transportes.

Nesse relatório, utilizamos dos modelos mais recentes da literatura de economia de comércio regional para investigar os efeitos globais da infraestrutura de transporte no emprego no Brasil entre 1990-2019.

Acesso a mercado

A abordagem do relatório é construída em volta de uma medida de acesso a mercado. O acesso a mercado mede o quão bem conectada cada região está com todas as outras regiões da economia e depende dos custos de transporte bilaterais e da distribuição espacial da população. Com a abordagem de acesso a mercado, uma modificação na infraestrutura de transporte afetará o custo de transporte entre regiões, o que modifica o acesso a mercado e impacta no emprego.

Dados

O acesso a mercado é gerado com dados espaciais de estradas federais para as décadas entre 1990 e 2010, dados de frete, e dados de população. Com os dados espaciais de estradas, construímos uma ferramenta que nos permite computar o custo de transporte entre qualquer par de municípios no Brasil.

Resultados

Os resultados mostram que acesso a mercado afeta positivamente o emprego. Um aumento de 1% em acesso a mercado gera um aumento de 0,5% – 0,8% no emprego.

Adicionalmente, os efeitos são heterogêneos entre regiões. As regiões inicialmente mais isoladas ou mais pobres se beneficiam mais de uma melhoria na infraestrutura de transporte.

Dessa forma, os resultados apontam para uma diminuição de desigualdade regional gerada pela melhoria da infraestrutura de transporte.

O BNDES, como um importante financiador de projetos de logística, pode se beneficiar desses resultados e da metodologia de acesso a mercado para ranquear ex-ante seu portfólio de projetos potenciais, levando em consideração os efeitos globais de alterações na infraestrutura de transporte. Adicionalmente, a metodologia pode ser empregada para avaliar ex-post projetos já completados, de forma a enriquecer o entendimento do impacto da instituição na atividade econômica.

LEIA A VERSÃO EM PDF AQUI


[1] Esse trabalho foi desenvolvido no âmbito de Acordo de Cooperação Técnica com o objetivo de formar parceria para intercâmbio de informações e realizar estudos e pesquisas conjuntos referentes a atividades de monitoramento e avaliação de efetividade com o BNDES. Os autores agradecem os comentários e discussões com o corpo técnico do BNDES ao longo do desenvolvimento da metodologia. Os autores agradecem em particular André Albuquerque Sant’Anna, Luciano Machado, Fábio Brener Roitman, o Departamento de Efetividade e Pesquisa Econômica e a Área de Saneamento, Transporte e Logística pelos comentários e sugestões. Todos erros e omissões são de responsabilidade dos autores.

up

Esta página contém posts em múltiplos idiomas

Usamos cookies para personalizar o conteúdo por idioma preferido e para analisar o tráfego do site. Consulte nossa política de privacidade para obter mais informações.